Se tem os olhos vermelhos, com picadas, ou tem uma sensação de corpo estranho e comichão nos olhos – isso pode ser um sinal de Síndrome do Olho Seco. Os olhos também podem por vezes estar sensíveis à luz e ter uma sensação de cansaço e até de dor. Às vezes também pode ocorrer lacrimejamento, uma produção reflexa de lágrimas quando o olho fica irritado. Também é possível que a visão fique turva.

 

Os sintomas de olho seco são mais frequentes nas mulheres e nos idosos. Estima-se que mais de 15% das pessoas com 55 anos ou mais tenham algum tipo de síndrome do olho seco.

O que é...

A síndrome do olho seco (nomes equivalentes: queratoconjuntivite seca ou apenas olho seco) ocorre quando há um problema com o filme lacrimal que normalmente mantém o olho húmido e lubrificado: ou o líquido lacrimal já não é produzido em quantidade suficiente, ou a qualidade do líquido lacrimal se alterou ou o líquido lacrimal se evapora em excecional medida.

 

Se o líquido lacrimal produzido for insuficiente, o motivo subjacente normalmente consiste numa disfunção da glândula lacrimal (uma glândula que produz lágrimas, situada na órbita, na porção externa da parte superior do olho). A evaporação aumentada do líquido lacrimal pode ter várias causas, tais como doenças das glândulas meibomianas (situadas no bordo das pálpebras), perturbações na abertura da pálpebra, pestanejar com pouca frequência, etc.

Filme lacrimal

O filme lacrimal mantém o olho húmido, limpa a superfície do olho e proporciona uma proteção contra as lesões e as infecções. Distribui-se uniformemente através do abrir e fechar das pestanas, o que acontece a cada 5 a 10 segundos. O filme lacrimal tem três camadas distintas, tendo cada uma delas a sua própria finalidade:

  • camada lipídica (oleosa)
  • camada aquosa (de água), que constitui até 90% do volume do filme lacrimal
  • camada mucosa que reveste a superfície da córnea.

Camada lipídica

A camada lipídica (oleosa), produzida pelas glândulas meibomianas, forma a superfície mais externa do filme lacrimal. A sua principal função é proteger a camada aquosa da evaporação. Também impede que as lágrimas saltem do olho e estabiliza o filme lacrimal.

 

Camada aquosa

A camada aquosa (de água) constitui a maior parte do que normalmente consideramos como sendo lágrimas. Esta camada é produzida pelas glândulas lacrimais. Fornece nutrientes e oxigénio atmosférico ao epitélio corneano e tem efeitos antibacterianos. Também limpa a superfície ocular, lavando os detritos e bactérias.

 

Camada mucosa

Esta camada interna do filme lacrimal consiste em muco produzido pela conjuntiva. Diminui consideravelmente a tensão superficial. Para além disso, permite que a camada aquosa seja espalhada de forma fácil e uniforme na córnea, o que é importante para uma imagem nítida no olho.

Fatores de risco

O olho seco tem várias causas, como por exemplo:

  • alterações relacionadas com a idade na produção e composição do líquido lacrimal
  • certas doenças sistémicas, como a síndrome de Sjogren, artrite reumatóide, deficiência em vitamina A, tiroidite ou diabetes
  • certos medicamentos para tratar a pressão arterial elevada, ansiolíticos e antipsicóticos, pílula anticoncecional, diuréticos e medicamentos para a alergia
  • condições ambientais, como por exemplo o ar interior seco, ar condicionado, pó, ambiente de trabalho eléctrico, vento, geada, sol quente
  • trabalhar ao computador, em que o olho seco resulta muitas vezes de uma redução no pestanejar
  • usar lentes de contacto
  • cirurgia refrativa da córnea (PRK, LASIK)

Diagnóstico

Consulte um oftalmologista para um exame mais detalhado. O médico pode colorir a superfície do olho com um corante para ver se consegue detetar uma coloração típica na córnea. Ou pode utilizar o teste de Schirmer (coloca-se uma tira de papel no interior da pálpebra inferior, que fica molhada com o líquido lacrimal) para medir a produção de lágrimas do olho. Se o resultado se desviar claramente dos valores de referência, a produção de lágrimas está alterada.

Tratamento

O objetivo do tratamento é aliviar os sintomas da síndrome do olho seco. Os olhos secos geralmente tratam-se com substitutos lacrimais, que lubrificam a superfície do olho. Têm frequentemente de ser aplicados várias vezes ao dia. Para além dos substitutos lacrimais, outros tratamentos podem incluir ciclosporina, plugs de oclusão punctal, etc. Se a utilização for crónica ou frequente, se utilizar lentes de contacto ou for sensível ao conservante utilizado na maioria dos colírios, deve recorrer a produtos sem conservantes.